Exame de qualificação

Conforme Capítulo V do Regimento do Programa.

 

CAPÍTULO V

DOS EXAMES DE QUALIFICAÇÃO, DISSERTAÇÃO E TESE

 

Art. 31 A qualificação será realizada através de um exame que tem por objetivo verificar se o aluno possui conhecimento e capacidade para a pesquisa no tema em que pretende realizar a sua tese e em temas correlatos.

§ 1° O exame de qualificação do Doutorado deverá ser realizado até o final do quarto período letivo, a contar da data da matrícula no Curso de Doutorado em Física.

§ 2° O exame de qualificação do Mestrado deverá ser realizado até o final do terceiro período letivo, a contar da data da matrícula no Curso de Mestrado em Física.

Art. 32 O exame de qualificação deverá ser realizado antes da matrícula na atividade acadêmica dissertação ou tese com cumprimento dos critérios relacionados no art. 33 deste regimento.

Parágrafo único – O aluno reprovado em exame de qualificação terá direito a uma nova oportunidade, consoante o que dispõe o § 7° do art. 32 das Normas Gerais dos Programas de pós-graduação stricto sensu da Universidade Federal do Ceará desde que não ultrapasse o limite estabelecido nos § 1º e § 2º do art. 31 deste regimento.

Art. 33 O Exame de Qualificação consiste na apresentação detalhada de uma proposta de dissertação ou tese perante uma Banca Examinadora. A proposta de tese ou dissertação, suficientemente consolidada, deve ser apresentada por escrito em língua portuguesa ou língua estrangeira, mediante aprovação da Coordenação do PPGFIS, e entregue à Banca Examinadora no prazo mínimo de 15 dias antes da data do exame.

Parágrafo único. A proposta de dissertação ou tese deve conter uma revisão crítica da literatura, um claro posicionamento do problema e dos objetivos do projeto de pesquisa, dando-se ênfase à contribuição científica ao tema abordado e uma discussão detalhada da metodologia a ser utilizada, incluindo, se existentes, resultados preliminares.

Art. 34 A Banca Examinadora para o exame de qualificação será constituída de 3 (três) membros efetivos e 1 (um) suplente.

§ 1º Os membros da Banca Examinadora devem possuir o grau de Doutor.

§ 2º A Banca Examinadora deverá ser sugerida pelo orientador do aluno e aprovada pela Coordenação do PPGFIS, que indicará seu Presidente.

Art. 35 Da realização do Exame de Qualificação do Mestrado e do resultado:

I – o Exame de Qualificação do Mestrado consistirá de uma análise da proposta de dissertação pela Banca Examinadora;

II – o parecer de aprovação, obtido mediante a unanimidade dos membros da Banca Examinadora, ou o parecer de reprovação, será comunicado por escrito à Coordenação do Programa, transcrito pelo Presidente e assinado pelos demais membros da Banca Examinadora na Ata de Exame de Qualificação da PPGFIS;

III – o aluno que não obtiver aprovação terá o direito à nova oportunidade para defender sua proposta desde que não ultrapasse o limite estabelecido nos § 1º e § 2º do art. 31 deste regimento;

IV – o aluno que não obtiver aprovação na segunda oportunidade do Exame de Qualificação será automaticamente desligado do curso.

Art. 36 Da realização do Exame de Qualificação e do resultado:

I – exame de qualificação é um ato de caráter restrito e dele participarão o estudante e os membros da Banca, sendo facultada a presença de docentes que sejam membros do Colegiado do PPGFIS;

II – o exame de qualificação será iniciado com a apresentação oral, pelo candidato, de sua proposta de
tese ou dissertação;
III – após a apresentação, o aluno será arguido pelos membros da Banca Examinadora sobre pontos específicos da proposta de tese e sobre seus conhecimentos em temas correlatos ao assunto de tese;

IV – logo após o período de arguição, a Banca Examinadora reunir-se-á para deliberar sobre o resultado do Exame de Qualificação. O parecer de aprovação, obtido mediante a unanimidade dos membros da Banca Examinadora, ou o parecer de reprovação, será comunicado por escrito à Coordenação do Programa, transcrito pelo Presidente e assinado pelos demais membros da Banca Examinadora na Ata de Exame de Qualificação da PPGFIS.

V – o aluno que não obtiver aprovação terá o direito à nova oportunidade para defender sua proposta desde que não ultrapasse o limite estabelecido nos § 1º e § 2º do art. 31 deste regimento;

VI – o aluno que não obtiver aprovação na segunda oportunidade do Exame de Qualificação será automaticamente desligado do curso.

Art. 37 Para a defesa de tese é um pré-requisito a apresentação de produção bibliográfica (um trabalho aceito para publicação ou publicado em periódico internacional indexado, trabalho completo em anais de conferências, pedido de patente) relacionada à tese do estudante.

Art. 38 A indicação da comissão julgadora do mestrado e doutorado será realizada pelo orientador via formulário disponibilizado pela Coordenação do PPGFIS obedecendo ao prazo de 21 dias antes da data da defesa.

§ 1º Deverão ser indicados quatro membros titulares para o mestrado e seis para o Doutorado.

§ 2º Além dos membros titulares, será indicado um membro suplente para o caso do mestrado e dois membros suplentes para o caso do doutorado.

§ 3º A aprovação da banca será feita pela comissão de pós-graduação nos termos do inciso IV do art. 15 das Normas Gerais da Pós-Graduação Strictu Sensu da UFC.

Art. 39 A defesa de dissertação ou de tese, é realizada em local, dia e hora estabelecidos pela coordenação do programa, divulgada pelo menos com sete (07) dias de antecedência, sendo sua realização aberta ao público.

§ 1° A forma de apresentação da dissertação ou da tese segue diretrizes definidas pela Coordenação do Programa.

§ 2° Admite-se que a dissertação ou a tese sejam escritas e/ou defendidas em língua estrangeira seguindo as diretrizes definidas no regimento interno do programa de pós-graduação stricto sensu.

§ 3º Caso a dissertação ou tese envolva registro de propriedade intelectual, o processo de depósito, devidamente instruído pela Coordenadoria de Inovação Tecnológica da UFC, deve ser realizado antes da defesa pública.

§ 4º A comissão julgadora de dissertação ou de tese, presidida pelo orientador, será formada, no mínimo, por três (03) e por cinco (05) membros, respectivamente, aprovados pela coordenação;

Art. 40 Os membros das comissões de defesa de dissertação ou de tese devem atribuir ao candidato uma das seguintes menções: aprovado ou reprovado.

§ 1º Será considerado aprovado ou reprovado o aluno que receber esta menção pela maioria dos membros da comissão julgadora.

§ 2º O aluno que recebeu a menção reprovado é cancelado de imediato do programa.

§ 3º No caso de modificação sugerida na dissertação ou na tese, a ocorrência é registrada na ata de defesa e o aluno deve efetuar a modificação dentro do prazo máximo de 30 dias após a defesa, como prérequisito para a solicitação do diploma.