Com participação de pesquisador do Departamento de Física, técnica tradicional da Física do Estado Sólido é incluída na Farmacopeia Brasileira

Com contribuições do Departamento de Física da UFC, o novo suplemento da Farmacopeia Brasileira reconhece a relevância de uma técnica tradicional da Física do Estado Sólido
para o controle de qualidade dos medicamentos. A inclusão da Difração de Raios X no Segundo Suplemento da 5ta edição da Farmacopeia Brasileira concede a estas análises caráter regulatório. Este capítulo foi elaborado pelos Professores Alejandro Pedro Ayala (UFC), Adriano Antunes de Souza Araújo (UFS), Flávio Machado de Souza Carvalho (USP) e Alexsandro Branco (UFBA).

Este tipo de analises ganha grande relevância se considerarmos que o método mais utilizado para ministrar um medicamento é através de formulações sólidas (cápsulas, comprimidos, etc.) por via oral. Na grande maioria dos casos os princípios ativos estão no estado cristalino, porém estas moléculas podem apresentar diferentes empacotamentos, conhecidos como polimorfos, os quais determinam propriedades físico-químicas que tem profundo impacto na eficácia dos medicamentos. A escolha e o controle da forma cristalina de um fármaco é uma das etapas mais importantes no desenvolvimento de um novo medicamento. A técnica de difração de raios X possui uma grande especificidade para distinguir as formas sólidas (polimorfos) de um fármaco e, portanto, aferir sua qualidade. Sua inclusão na Farmacopeia Brasileira preenche uma antiga lacuna na caracterização e registro de matérias primas e medicamentos já que, além das técnicas tradicionais que avaliam a pureza química, a difração de raios X permite avaliar a pureza estrutural.